jusbrasil.com.br
20 de Novembro de 2017
    Adicione tópicos

    Assembleia realização sessão especial para alertar sobre a importância da doação de órgãos

    Foi realiza nesta quarta-feira (13), no plenarinho da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão, uma sessão especial para debater a importância da Campanha “Setembro Verde” que, neste ano, traz o slogan ‘É hora daquelas duas palavrinhas com sua família: Sou Doador'.

    A deputada Valéria Macêdo (PDT), autora do requerimento que solicitou a sessão, disse que a campanha tem como objetivo chamar a atenção de toda sociedade maranhense para a conscientização e sensibilização sobre a captação e distribuição de órgãos e tecidos humanos, cuja lei estadual nº 10.373/15, dispõe sobre o assunto, é de sua autoria.

    A sessão contou com as presenças da deputada Nina Melo (PMDB); de Antônio Luís Amaral Pereira, representando a reitora Nair Portela, da UFMA; da coordenadora da Central Estadual de Captação de Órgãos e Tecidos, Inês Oliveira; de Joyce Lages, superintendente do Hospital Universitário; Nan Sousa, da Fundação Josué Montelo; Maria Inês, representando o secretário estadual de Saúde, Carlos Lula; Ana Leia, presidente do Sindicato dos Enfermeiros e Enfermeiras do maranhão; estudantes de enfermagem da Faculdade Estácio de Sá, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

    Ao agradecer a presença das autoridades e demais convidados, Valéria Macêdo ressaltou a importância do diálogo com a família para a doação que, em especial, no Maranhão, ainda é um tabu para grande parte das famílias. Enfatizou ainda que a mobilização em torno da doação de órgãos é fundamental para o sucesso do trabalho, tendo em vista que de acordo com a atual legislação brasileira, a doação de órgãos só pode ocorrer através de autorização da família.

    Campanha acirrada

    “Todos juntos podemos sensibilizar o governo da necessidade da implantação do setor de transplante e captação de órgãos. Precisamos estender essa campanha aos municípios maranhenses. Aqui nós estamos sensibilizando as famílias e estimulando as pessoas a serem doadoras. Eu já disse para o meu marido que sou doadora. A gente tem que ter esse ato de solidariedade e amor pelo próximo; precisamos defender a vida. Precisamos de campanha mais acirrada para que as pessoas tenham conhecimento da importância da doação de órgãos”, acentuou Valéria Macêdo.

    De acordo com a coordenadora da Central de Notificação, Captação e Distribuição de órgãos no maranhão (CNCDO-MA), Maria Inês Oliveira, a partir do avanço científico dos últimos anos, a maioria dos transplantes tem possibilitado o reinício de uma vida saudável e digna a vários pacientes. Mas ainda existem problemas estruturais, que dificultam a doação e transplantes de órgãos no Brasil. “Isso só é possível graças à solidariedade das famílias que entendem que doar órgãos é doar vida”, disse Maria Inês, ao exibir um vídeo sobre o tema ali abordado.

    Segundo Maria Inês, no Maranhão, o número de paciente que estão fazendo hemodiálise é de mais de 2.400, sendo 213, na lista de ativos para o transplante e de córnea, são 697 ativos. O número de transplantes feitos no Maranhão até ontem, dia 12, no Estado, foi de 573, de pacientes renais e de 1.545, de córnea. Ela também afirmou que no primeiro semestre desse ano - 2017 – foram feitos 26 transplantes de rim e 119 de córnea, no Hospital Universitário.

    “Precisamos quebrar essa cadeia negativa de doação. Apesar dos esforços o número de transplantes realizados no Maranhão ainda é é pequeno devido à desinformação e mitos correlacionados ao processo de doação. “Quem recebeu um transplante será grato para sempre ao gesto de solidariedade”, ”, disse Maria Inês.

    Engajamento

    Nan Souza afirmou que a Fundação Josué Montelo reitera a campanha que tem a necessidade de ser levada a todos os seguimentos da sociedade. “Precisamos fazer a doação de órgãos. Nós estamos engajados de coração nessa campanha. A única forma de ganhar mais doadores é superar a barreira da negativa da doação. O nosso trabalho tem que ser preventivo para conscientizar as pessoas. Não vale a pena estar aqui nesse mundo, senão puder servir”, disse, declarando-se doador de órgãos.

    Ao parabenizar a deputada Valéria Macêdo pela realização da sessão especial, a superintende do Hospital Universitário Joyce Lages disse que o principal objetivo do trabalho ali desenvolvido é tirar os pacientes da fila de transplantes. “Mas, para isso, nós precisamos de doadores. Essa campanha precisa ser ampliada para alcançar um número maior de pessoas”, disse ela.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)